home contato

 

PROVAS DE CONCURSOS PÚBLICOS RETIRADAS DA REDE, SENDO QUE ALGUMAS DELAS NÃO POSSUEM GABARITOS; E SEU CONTEÚDO, BEM COMO AS RESPOSTAS PRESENTES NAS QUESTÕES,SÃO DE RESPONSABILIDADE DE SEUS ELABORADORES.

 

 

Perguntas e respostas comentadas I (concursos públicos)


1 – Quais os parâmetros físicos dos equipamentos de raios-X que estão diretamente relacionados com a quantidade e a qualidade dos feixes de radiação, respectivamente?
a) O mAs e a kVp.
b) O mAs e a distância fonte superfície.
c) A kVp e o tamanho do campo.
d) A filtração e o tamanho do campo.
e) A filtração e a distância fonte superfície.
Resposta: alternativa (a), mAs e kVp.
Elucidação: Três fatores de exposição são ajustáveis no painel de controle para produzir com maior exatidão as estruturas a serem estudadas em um exame radiográfico, esses fatores são:
Pico de quilovoltagem (kVp)
Miliamperagem (mA)
Tempo de exposição (T)
O mAs é a combinação da miliamperagem  com o tempo de exposição, que resulta na quantidade de radiação que será produzida em um determinado período de exposição.
A quantidade de radiação produzida durante uma exposição é o fator primário para controle de densidade óptica, descrita como o grau de enegrecimento do filme radiográfico.
O kV está relacionado com o valor da alta tensão que alimentará o tubo de raios-X no momento da exposição, sendo o fator primário para o controle de contraste da imagem, pois, o mesmo controlará a energia da fonte primária de raios-X.

 

2 – Não é substância integrante do revelador radiográfico:
a) Metol;
b) Hidroquinona;
c) Carbonato de sódio;
d) Sulfito de sódio;
e) Hipossufito de sódio.
Resposta: alternativa (e), hipossulfito de sódio.
Elucidação: O revelador radiográfico tem por objetivo realizar a redução química dos íons de prata, seus componentes são:
O carbonato de sódio – agente acelerador responsável pela produção alcalina, necessário para a interação dos demais agentes e pelo amolecimento da gelatina ocasionando a penetração dos químicos.
O metol – agente redutor responsável pela redução química dos microcristais de haleto de prata, (a hidroquinona possui a mesma função do metol).
O brometo de potássio – não citado nesta questão, desenvolve a função de regulador para evitar velamento no processo de revelação.
O sulfito de sódio – é o agente preservativo que evitará a oxidação da solução devido ao contato com o ar.
O glutaraldeido é um agente endurecedor responsável por retardar o inchaço da emulsão e caracteriza o fim do processo de revelação.

 

3 – O que defende o princípio ALARA?
a) É empregado como forma de proteção radiológica a pacientes grávidas.
b) É empregado em radiologia pediátrica.
c) Um dos princípios obrigatórios é o uso de dosímetro pelo paciente.
d) São princípios empregados na proteção radiológica de técnicos e médicos que trabalham com radiações ionizantes.
e) Nenhuma das alternativas anteriores está correta.
Resposta: alternativa (d), princípios empregados na proteção radiológica de técnicos e médicos que trabalham com radiações ionizantes.
Elucidação: A proteção radiológica objetiva estabelecer um conjunto de medidas que previna o acontecimento dos efeitos determinísticos, fazendo utilizações de doses baixas, e controlar ao máximo a probabilidade de ocorrência dos efeitos estocásticos. Dessa forma a proteção radiológica irá definir padrões para minimizar ao máximo as doses de radiação, sofridas pelos indivíduos que a elas se expõe, sem reduzir o benefício que a mesma proporciona.
O princípio ALARA postula que toda prática realizada com radiações ionizantes devem ser mantidas no nível mais baixo possível, garantindo uma otimização da dose ao disponibilizar um conjunto de procedimentos de proteção que evite uma exposição desnecessária às radiações ionizantes.

 

4 – Quais as células mais sensíveis aos efeitos das radiações ionizantes?
a) Linfáticas.
b) Ósseas.
c) Musculares.
d) Sanguíneas.
e) Neurais.
Resposta: alternativa (d), células sanguíneas.
Elucidação: Cada célula existencial em nosso organismo apresentará uma diferença em relação à sensibilidade às radiações ionizantes. As células que têm mais atividade são mais sensíveis aos efeitos causados pela radiação ionizante.
A taxa de reprodução das células é um fator que pode ser de uso classificatório para indicar sua sensibilidade à radiação ionizante, assim:
•    Células que produzem sangue estão em constante reprodução, logo, se tornam as mais sensíveis.
•    Células reprodutivas e gastrointestinais não possuem muita agilidade no processo de reprodução, por isso, são menos sensíveis.
•    Células nervosas e musculares são as mais lentas e, portanto, as menos sensíveis.

 

5 – Paciente suspeita de fratura na cabeça do rádio. Nas incidências AP e perfil não foi visualizada linha de fratura. Qual incidência é indicada para estudo complementar?
a) Rotação lateral (oblíqua externa).
b) Axial.
c) Crânio-caudal.
d) Rotação interna de 45° (oblíqua interna).
e) Látero-medial.
Resposta: alternativa (a), Rotação lateral (oblíqua externa).
Elucidação: A incidência em rotação lateral é comumente realizada para estudo de fratura e luxação na cabeça e colo do rádio, e outros processos patológicos, tais, como atrite e osteomielite.
A imagem radiográfica deve apresentar a cabeça, colo e tuberosidade do rádio sem sobreposição. Essa condição é adquirida mantendo uma obliqüidade de 45° da porção distal do úmero.

Fig. 1 – Imagem radiográfica do cotovelo em rotação lateral.
Quando o paciente não consegue estender completamente o cotovelo para a realização do posicionamento em rotação lateral, uma incidência especial pode ser realizada para os mesmos fins diagnósticos, incidência essa denominada de método Coyle.
Na incidência método Coyle, o paciente deverá manter o cotovelo fletido a 90°, mão em pronação e RC incidindo na cabeça do rádio com uma angulação de 45° em direção ao ombro.

 

6 – Qual o aumento mínimo do kVp que produzirá um aumento da densidade igual ao produzido pela duplicação do mAs?
a) 5%
b) 10%
c) 15%
d) 20%
e) 25%
Resposta: alternativa (c), 15%.
Elucidação: A regra de troca de densidade estipula que uma radiografia pouco exposta deve ser repetida com o dobro de mAs para compensar a falta de densidade,( radiografia muito “branca” deve ser repetida com um maior aumento das técnicas radiográficas).
Essa compensação também pode ser atingida com o aumento de 15% do kV aplicado no exame radiográfico, o aumento de 15% no Kv é importante para sustentar  a proteção contra a radiação, pois, com o aumento do kV e possível redução do mAs teremos uma menor exposição do paciente à radiação.

 

7 – Sobre o efeito anódico, no qual a intensidade da radiação emitida na extremidade do catodo do campo de raios-X é maior do que aquela na extremidade anodo é correto afirmar que:
a) A diferença de intensidade dos feixes de raios-X entre as extremidades do catodo-anodo pode variar de 20-60%.
b) Quanto menor o ponto focal, maior o efeito anódico.
c) Quanto maior o ponto focal, maior o efeito anódico.
d) O efeito anódico é mais acentuado com filme maior.
e) Nenhuma das opções acima está correta.
Resposta: alternativa (b), quanto menor o ponto focal, maior o efeito anódico.
Elucidação: Efeito anódico é um fenômeno que se resume na atenuação do feixe de radiação pelo próprio anodo, resultando em uma maior intensidade de radiação do lado catódico. Em geral, quanto menor o ponto focal, maior o efeito anódico.
Um ângulo anódico muito pequeno, também intensifica o chamado efeito anódico.
O foco efetivo depende do tamanho do filamento do catodo e do ângulo do anodo, logo, quanto menor o filamento e o ângulo do anodo, mais qualitativo será o foco efetivo.

 

8 – Em qual incidência da coluna lombar é possível identificar a imagem com aparência de “cão escocês”?
a) Ântero-posterior.
b) Perfil.
c) Obliqua 45°.
d) Obliqua 35°.
e) Nenhuma das alternativas anteriores está correta.
Resposta: alternativa (c) Obliqua 45°.
Elucidação: Para facilitar a correta identificação do posicionamento, uma imagem de um Fox terrier é associada à vértebra em posição oblíqua, onde a orelha do cão é representada pelo processo articular superior, o processo transverso forma o nariz, a pata dianteira é composta pelo processo articular inferior, o olho é formado pelo pedículo e o pescoço é formado pela articulação interapofisária.

 

9 – Quais as incidências indicadas para o estudo radiológico do esterno?
a) PA + perfil E.
b) AP + perfil D.
c) Perfil.
d) Oblíquas anteriores e perfil.
e) Nenhuma das alternativas anteriores está correta.
Resposta: alternativa (d), Oblíquas anteriores e perfil.
Elucidação: O esterno é um osso delgado, estreito e achatado localizado na linha média anterior a coluna torácica, logo, sua visualização em uma incidência AP ou PA será impossível, pois, a densidade da coluna torácica é muito maior do que a densidade do esterno.
Para um estudo correto do esterno o paciente deve ser orientado a obliquar o corpo de 15° a 20° em uma OAD, assim o esterno será deslocado para a esquerda da coluna vertebral e para dentro da sombra cardíaca homogênea. Na imagem em perfil toda a estrutura do esterno é visualizada sem sobreposição de estruturas.

 

10 – Numa incidência AP do crânio, a dose para a tireóide é de 92 mrem (milirem) que, convertidos para seivert (Sv), representam:
a) 920.
b) 0,92.
c) 0, 092.
d) 0, 0092.
e)0,00092.
Resposta: alternativa (e), 0, 00092.
Elucidação: 1 Sievert = 100 Rem.
Para a conversão de milirem em Sievert realizamos a divisão dos valores por 1000 por se tratar de Milirem, conseguinte dividimos novamente, agora por 100, logo obteremos o valor convertido.
92/1000 = 0, 092/100 = 0, 00092.

 

11 – Considerando a anatomia radiológica da mastoidea, qual estrutura abaixo não é visualizada pelo método LAW?
a) Meato acústico externo (MAE).
b) Fossa têmporo mandibular.
c) Células areadas das mastóideas.
d) Dorso da sela turca.
Resposta: alternativa (d), dorso da sela turca.
Elucidação:

 

12 – São ossos do carpo, exceto:
a) Escafóide.
b) Semilunar.
c) Trapézio.
d) Cubóide.
Resposta: alternativa (d), cubóide.
Elucidação: Os ossos do carpo são divididos em duas fileiras, sendo elas, fileira distal e proximal.
Na fileira proximal, começando pela porção lateral encontramos o escafóide; o semilunar é o segundo osso da fileira proximal; o terceiro osso da fileira proximal do carpo é o piramidal e o último osso da fileira proximal do carpo é o pisiforme que se encontra anteriormente ao piramidal.
A fileira distal também possui quatro ossos. Começando novamente pela porção lateral teremos o trapézio, conseguinte o trapezóide. Esse osso é seguido pelo capitato, e o ultimo osso da fileira distal é o hamato.

 

13 – Qual deve ser a potência da luz de segurança da câmara escura?
a) 12W.
b)13W.
c) 14W.
d) 15W.
Resposta: alternativa (d), 15W.
Elucidação: Segundo a vigilância sanitária portaria 453, de 1° de julho a metragem da câmara escura não poderá ser inferior a 6m², tendo a luz de segurança a uma distância de 1,2m do local de manuseio do filme radiográfico, possuindo 15 watts, com filtro de luz da cor âmbar.

 

14 – O joelho é uma articulação sinovial do tipo:
a) Plana.
b) Esferóide.
c) Ginglimia.
d) Elipsóide.
Resposta: alternativa (c), ginglimia.
Elucidação: As articulações do tipo ginglimia possuem apenas movimentos de extensão e flexão, contendo uma cápsula articular fibrosa, de forma delgada em sua superfície articular, com ligamentos colaterais fortes prendendo-as aos ossos.

 

15 – Durante um exame de pediatria, ajustou-se a técnica empregada em 600 mA e 0,03 segundos. Qual será o valor do mAs?
a)18000 mAs.
b) 1800 mAs.
c) 180 mAs.
d) 18 mAs.
e) 1,8 mAs.
Resposta: alternativa (d), 18 mAs.
Elucidação: O mAs é a quantidade de radiação emitida multiplicada pelo tempo de exposição, logo, a simples multiplicação dos valores atinge o resultado desejado.
600mA x 0,03 segundos = 18 mAs.

 

16 – Com relação à técnica de “Air Gap”, assinale a alternativa incorreta.
a) Esta técnica consiste em se afastar o filme do paciente, criando um espaço de ar entre eles.
b) Esta técnica tem como objetivo diminuir a quantidade de radiação espalhada pelo paciente, melhorando assim o contraste radiográfico.
c) Esta técnica produz ampliação da imagem radiográfica.
d) Esta técnica ocasiona a perda de detalhes causada pelo aumento da penumbra.
e) Esta técnica é indicada para radiografia de tórax, de pessoas altas e magras.
Resposta: alternativa (e), Esta técnica é indicada para radiografia de tórax, de pessoas altas e magras.
Elucidação: A técnica de “airgap” descreve um aumento da distância objeto filme, ocasionando uma filtração da radiação espalhada (secundária). Este método possui o inconveniente de ampliar a imagem radiográfica e provocar uma distorção da mesma.
Um espaço de 30 cm de ar equivale a uma grade de razão 8:1.

 

17 – Qual a técnica indicada para avaliação de fraturas ou luxações na região do fêmur proximal em situações traumáticas de quadril, quando a perna afetada NÃO pode ser movida?
a) Método de judet.
b) Método de Danelius-Miller.
c) Método de Cleaves Modificado.
d) Método de Clements-Nakayama.
Resposta: alternativa (b), método Danelius-Miller.
Elucidação: A incidência Danelius-Miller é uma incidência comum para pacientes vitimas de fratura, pós-cirúrgico ou que esteja incapacitado de mover a perna afetada.
A perna não afetada deve ser flexionada até que a coxa atinja um ângulo próximo de 90° com a horizontal e se projete fora do campo de colimação. O chassi deve ser posicionado paralelo ao colo do fêmur, se possível o paciente deverá realizar uma rotação de 15° a 20° interna da perna, RC perpendicular ao filme.

 

18 – Nas incidências tangenciais para patela, no método Settegast, o paciente apresenta-se posicionado em:
a) decúbito dorsal, flexão do joelho a 10°.
b) decúbito dorsal, flexão do joelho a 45º.
c) decúbito ventral, flexão do joelho a 55º.
d) decúbito ventral, flexão do joelho a 90º.
Resposta: alternativa (d), decúbito ventral, flexão do joelho a 90º.
Elucidação: O método Settegast é realizado com o paciente em decúbito ventral com uma flexão de 90° do joelho, tal flexão não deve ser realizada caso haja suspeita de fratura. RC deve incidir com uma angulação de 15° a 20° cranial na articulação patelofemoral.
A principal desvantagem deste método é o fato de que a flexão pode deslocar a patela para o sulco intercondilar.

 

19 – Násio é um ponto de reparo importante do crânio e se refere:
a) À junção dos ossos do nariz com os maxilares.
b) À junção dos ossos próprios do nariz com o frontal.
c) À junção dos ossos próprios do nariz com o esfenóide.
d) À junção da cartilagem nasal com a parte óssea.
e) Ao ponto de contato entre os ossos próprios do nariz e os lacrimais.
Resposta: alternativa (b), à junção dos ossos próprios do nariz com o frontal.
Elucidação: Nasio é um ponto de referência superficial situado na ponte do nariz e corresponde com a junção dos dois ossos nasais com o osso frontal.

 

20 – A radiografia da coluna vertebral em incidência trans-oral destina-se ao estudo de:
a) Articulação atlanto-axoidea.
b) Articulações interapofisárias.
c) Forames de conjugação.
d) Processo espinhoso.
e) C7-T1.
Resposta: alternativa (a), articulação atlanto-axoidea.
Elucidação: Em uma radiografia de incidência trans-oral – C1 e C2, nem os dentes nem a base do crânio devem sobrepor o processo odontóide.
Estruturas evidenciadas:
Dente e corpo vertebral de C2, massas laterais de C1 e articulações zigapofisárias entre C1 e C2

 

http://playmagem.com.br/portal/2012/02/08/concurso-publico-perguntas-e-respostas-comentadas-por-rodrigo-pigozzi/

 

 

 

PROVAS DE RADIOLOGIA CONTEÚDO TÉCNICO

 

 

Uraa

 

 

Urab

Urac

 

 

Urad

Urae

Uraf

 

Urag

urah

Urai

Uraj

Urak

uran

Filtro

urao

Urap

Uraq

Urar

 

http://books.google.com.br/books?id=nxe4lR27gY8C&pg=PA45&lpg=PA45&dq=filtro+de+molibdÍnio&source=bl&ots=IjyuSTEpa2&sig=TA8s-vLD__5P5ztUfvN2F5bHbyM&hl=pt-BR&ei=cmWjTfe4B6jh0gG9hs2QBQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=4&ved=0CDYQ6AEwAw#v=onepage&q&f=true

gabarito

http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/conteudo,16958

pox

poa

 

poc

pob

http://www.ipad.com.br/fernandodenoronha/prova/nivel_medio/tecnico_em_radiologia_tipo_1.pdf

pa

pb

pc

pd

pf

pbb

ph

ps

pj

pn

 

pm

px

provaa

provab

provac

provad

provae

provaf

provasa

 

provasb

provasc

 

provasd

provase

provasf

provasg

 

prd

pre

prf

prg

prh

pri

ca

cb

cc

cd

ce

cf

cg

http://cac-php.unioeste.br/concursos/anteriores/Prova_Obj_Tecnico_Radiologia.pdf

armdasa

 

armadasb

armadasc

 

OUTRAS PROVAS RELACIONADAS:

http://www.ufmt.br/vestibular/concursos/pmc2007/paginas/prova_objetiva/cadernos_de_prova/edital_001/medio_tecnico/radiologia.pdf

http://gemeos2.uece.br/cev/conc2008/taua/tauadoc/nmed_4tecradiologia.pdf

http://www.conesul.org.br/doc_concursos/eldorado0012008/prova/122.pdf

 

 

incio